Tradutor

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Presidente da região italiana de Lazio sai após suposto vídeo com transexual

Piero Marrazzo teria sido chantageado por policiais, diz investigação.

Um dos envolvidos no caso seria brasileiro, segundo jornais italianos.

O presidente (governador) da região italiana de Lazio, Piero Marrazzo, demitiu-se nesta terça-feira (27) depois que foi revelado na semana passada um vídeo em que supostamente aparece em atitude carinhosa com um transexual.

Quatro policiais teriam chantageado o político por conta do vídeo, gravado em julho em um apartamento na capital italiana, Roma, que fica na região de Lazio. Os quatro estão presos.

Segundo a imprensa local, um dos transexuais envolvidos no escândalo seria brasileiro e se chamaria Brenda.

Marrazzo, de 51 anos, é casado, tem três filhas, e pertence ao Partido Democrata, que faz oposição ao governo de centro-direita do premiê Silvio Berlusconi.



Em texto divulgado na internet, Marrazzo diz que a situação tornou sua permanência no cargo insustentável.

"Minha condição pessoal de extremo sofrimento faz com que minha permanência à frente da região não seja mais útil para os cidadão de Lazio", diz o comunicado.

Ele disse que sua renúncia era "final e irrevogável". Ele também disse que sempre agiu "pelo bem dos cidadãos", mesmo tendo cometido "erros pessoais" em sua vida privada.

No sábado, Marrazzo havia deixado o posto provisoriamente nas mãos do vice Esterino Montino.

O escândalo veio à tona depois da prisão dos quatro policiais militares que teriam pedido a Marrazzo 80 mil euros para não divulgar o vídeo, que ainda não veio a público.

Os policiais defenderam-se negando a chantagem e dizendo que foi o político quem lhes ofereceu dinheiro.

As autoridades estão investigando se realmente houve pagamento.

Agora, Marrazzo, que deve formalmente continuar no cargo, tem 90 dias para chamar novas eleições. A campanha eleitoral deve durar 45 dias.

3 comentários:

Claudine Ribeiro G. Netto disse...

O que será que aconteceria se isso acontecesse aqui no Brasil? Tem que ter um brasileiro no meio dessa sugeira.
Ótima postagem, mostra que na Itália os políticos metidos em algum escândalo, sai do cargo. Se aqui em nosso país fosse assim, com certeza 99% perderiam seus empreguitos.

Um abraço.

Pablo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pablo disse...

Bom se foce no Brasil realmente tudo cabaria em pizza ou em churrasquinho com nome Brenda.Pois a corda sempre arrebenta pro lado dos mais fracos.E o governador???Estararia com seu bom e velho cargo de governador gosando e comendo seu bom file com cogumelos importadado(pago pelo dinheiro publico) rindo ao ver na sua tv de plasma o tragico fim que leva, quem tenta invadir seu espaco e poem suas intimidades sorditas em risco de cair na boca do povo.Sugeira maior do que sair com travesti a gente sabe que rola aqui no Brasil.Com certeza queima de arquivo ate os policiais nao escapariam.